segunda-feira, 24 de abril de 2006

Mudança



Parece que foi ontem e, na verdade, já faz um ano.
Aqui estou eu, novamente, arrumando as malas (e as tralhas). A nescessidade de sair é a mesma, a pressa em descartar o que não mais me pertence, o que não sou mais eu.
Confesso que, nesses processos de me desfazer de objetos que não têm mais utilidade, pouco está sobrando de mim.

Preciso me re-compor, e daí a urgência em ir embora.
Eu vim para a Cidade Maravilhosa em busca de um sonho que não se concretizou, mas, pelo que ganhei em troca, acho que valeu a pena. Foi preciso muita coragem para vir, e o dobro para ir embora. Assumir que não comporto esse universo, que a minha terra ainda é o melhor lugar para estar.
Pelo menos agora. O tempo sempre me enganou e nessa ilusão construí meus anseios. Ao vê-los desmoronar, percebi que preciso do concreto, palpável e denso.
A tão almejada fluidez e leveza ainda não é para mim.

Então, arrumo as malas e aguardo...